SAÚDE

Acidente Vascular Cerebral pode ser evitado

Descubra quais são os principais fatores de risco relacionados com a doença e orientações para a prevenção do AVC.

Imagine o caso em que uma pessoa sente uma forte dor de cabeça e perde a consciência. O mal súbito pode estar associado a algo muito sério, como um Acidente Vascular Cerebral (AVC), por exemplo, que é popularmente conhecido como "derrame".

 

Acidente Vascular Cerebral pode ser evitado

 

Se a pessoa não for atendida imediatamente, o AVC pode ser fatal. O Brasil registrou 101,1 mil óbitos1  causados por AVC em 2017, segundo dados do Ministério da Saúde. No Dia Mundial do AVC, em 29 de outubro, a data colabora para a promoção de ações de conscientização sobre a doença.

 

Existem dois tipos de Acidente Vascular Cerebral: isquêmico e hemorrágico. O primeiro se manifesta quando ocorre uma obstrução em vaso sanguíneo localizado no cérebro. A oxigenação é prejudicada, provocando a morte de células cerebrais. Já o AVC hemorrágico ocorre quando um vaso sanguíneo se rompe, causando um sangramento no órgão, o que também lesiona áreas do cérebro. Embora seja menos frequente, representando cerca de 15%2  dos casos, o AVC hemorrágico pode ser mais fatal.

 

Ambos os tipos podem provocar sintomas como dor de cabeça intensa, fraqueza e redução de sensibilidade no braço ou perna, dificuldades para se comunicar ou andar, confusão mental, alterações na visão, entre outros. Convém frisar que o AVC representa uma emergência médica. Durante um AVC, cerca de 32 mil células cerebrais morrem por segundo. Em uma hora, 120 milhões de neurônios são perdidos, segundo dados da American Stroke Association3.

 

Portanto, havendo qualquer suspeita de AVC, o paciente precisa de atendimento imediato e qualificado. Isso é fundamental para ter um bom prognóstico, visando à sobrevida do paciente, e para minimizar possíveis sequelas. Após a ocorrência de um AVC, o paciente também precisa de apoio especializado, para que tenha a reabilitação adequada4.

 

Riscos e prevenção do AVC

De acordo com o Interstroke, uma pesquisa global sobre AVC que foi publicada na renomada revista científica The Lancet, dez fatores de risco estão relacionados com cerca de 90%5  das ocorrências de AVC. Dessa forma, especialistas sempre buscam dar orientações para prevenir a doença.

 

"É importante deixar claro que, em cerca de 80% dos casos, a pessoa poderia ter feito algo para mudar o desfecho. Você precisa fazer atividade física, controlar seu peso, sua gordura abdominal e sua pressão arterial, reduzir o colesterol, não abusar do álcool, evitar o estresse, não fumar e fazer acompanhamento médico"6 , orientou Letícia Januzi, neurologista vascular do Hospital Universitário da Universidade Federal de Alagoas, em notícia do portal UOL.

 

Entre os perigos que podem ocasionar um AVC, a hipertensão é considerada o principal fator de risco. "A hipertensão desgasta e provoca lesões nas paredes dos vasos. Para piorar, 90% dos hipertensos não apresentam sintomas, e só 20% deles estão com os níveis de pressão equilibrados"7 , afirmou o médico Marcus Malachias, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, em notícia da revista Veja Saúde.

 

Por isso, os hipertensos devem ter atenção redobrada, buscar o tratamento adequado para essa doença crônica com um especialista, aferir a pressão regularmente e, principalmente, controlar o consumo de sal na alimentação. Leia mais: Como podemos combater a hipertensão?

 

Os outros fatores de risco englobam o consumo excessivo de produtos ricos em açúcar, sal e gordura, obesidade, colesterol alto, tabagismo, diabetes do tipo 2, entre outros. O AVC também pode estar ligado a outras doenças, como arritmias cardíacas, hemofilia (doença caracterizada por distúrbios de coagulação do sangue) e tromboembolismo, além de histórico familiar. Leia também: Mulheres sofrem mais com a incidência de tromboembolismo.

 

Investir em uma alimentação nutritiva e balanceada é a principal recomendação para ter mais qualidade de vida e longevidade. Os cuidados com a dieta são capazes de prevenir doenças cardiovasculares, fortalecer a imunidade, retardar o envelhecimento, e até afastar sérios males como o AVC e o câncer. Uma rotina saudável também deve incluir a prática de atividades físicas, a ingestão adequada de água e boas noites de sono.

Fatores de risco

Saiba quais condições estão relacionadas com o desenvolvimento de AVC:

  • Hipertensão
  • Diabetes do tipo 2
  • Colesterol alto
  • Sobrepeso
  • Obesidade
  • Tabagismo.
  • Uso excessivo de álcool
  • Idade avançada
  • Sedentarismo
  • Uso de drogas ilícitas
  • Histórico familiar
  • Ser do sexo masculino.

 

Fonte: Ministério da Saúde.