MELHORANDO VIDAS

Como podemos combater a hipertensão?

Entenda como a chamada “pressão alta” se manifesta e confira dicas para prevenir essa perigosa doença

Quem não gosta de comida bem temperada? Muitas vezes, as receitas dos pratos e saladas recomendam uma “pitadinha” de sal, mas os cozinheiros e consumidores acabam adicionando uma quantidade maior do que a recomendada. Embora fique saboroso, o alimento rico em sódio pode prejudicar muito a saúde com o passar dos anos.

 

image

 

Quando consumimos muito sal, o sódio provoca um desequilíbrio no organismo, fazendo com que as células percam água. Como consequência, a água do “lado de fora” das células aumenta o volume de sangue do indivíduo, elevando a pressão arterial. Essa situação acaba sendo uma das principais causas de desenvolvimento da hipertensão, um problema preocupante que representa fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

 

Popularmente conhecida como “pressão alta”, a doença faz com que o coração tenha que se esforçar mais para bombear o sangue e os vasos sanguíneos podem sofrer lesões. No Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, celebrado em 26 de abril, a Bayer colabora para a conscientização sobre os perigos da doença, diagnóstico e prevenção.

 

Além da alta ingestão de sal, outros fatores como consumo de álcool, cigarro e sedentarismo também provocam a hipertensão. De acordo com estimativa da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a doença acomete, no mínimo, 25% da população brasileira adulta, atingindo mais de 50% das pessoas com idade superior a 60 anos.

 

A doença é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. Trata-se de uma doença preocupante e fatal. Segundo levantamento do Ministério da Saúde, o Brasil registrou 141.878 mortes devido a hipertensão em 2017. É tão preocupante que foi considerada como fator de risco para os pacientes infectados pelo coronavírus.

 

Diagnóstico

O grande problema é que, muitas vezes, a hipertensão é uma doença silenciosa e desafiadora na hora do diagnóstico. "Na maioria das vezes, a pessoa não sente absolutamente nada. Aqueles que sentem é porque estão com comprometimento elevado", afirmou o cardiologista Fernando Costa, diretor de promoção da saúde cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia, em notícia do UOL.

 

A hipertensão pode ocorrer por predisposição genética, então, casos na família são um indicativo de desenvolvimento da doença. Pessoas obesas ou com sobrepeso também têm tendência de apresentar pressão alta. Quando a doença se manifesta, os sintomas podem incluir dor de cabeça, falta de ar, tontura, dores no peito, visão “borrada” e até mesmo “zumbido” no ouvido. Se não for controlada, a hipertensão pode provocar Acidente Vascular Cerebral (AVC), insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, entre outras complicações.

 

A descoberta da hipertensão necessita de exames específicos, já que a pressão arterial costuma oscilar ao longo do dia. Uma pessoa pode ficar nervosa ou se movimentar e registrar uma pressão acima do normal em determinado momento, o que não configura a doença. Para ter um diagnóstico preciso, é preciso realizar exames como a monitorização ambulatorial de pressão arterial (Mapa) e a monitorização residencial de pressão arterial (MRPA), capazes de aferir a pressão arterial e suas oscilações durante um intervalo maior de tempo. O diagnóstico confiável é fundamental para que o paciente receba o tratamento com medicamentos adequados e possa adotar uma dieta personalizada para o seu caso.

 

Rotina saudável

De todo modo, seja para prevenir a hipertensão ou outras doenças, os especialistas sempre recomendam uma dieta balanceada, aliada à prática de atividade física. Hábitos saudáveis são indicados para toda a população. A Organização Mundial de Saúde recomenda consumo diário de somente cinco gramas de sal, o equivalente a uma colher de chá rasa. No entanto, o brasileiro consome, em média, 9,34 gramas de sal por dia, quantidade elevada que representa um risco para a saúde. Por essa razão, vale a pena rever o cardápio e eliminar outros fatores de risco, como o tabagismo.

 

Oito dicas de combate à hipertensão:

  1. Meça a sua pressão arterial pelo menos uma vez ao ano.

  2. Adote uma alimentação saudável, com pouco sal.

  3. Pratique exercícios físicos com frequência.

  4. Mantenha o peso ideal.

  5. Não beba álcool ou reduza o consumo.

  6. Abandone o cigarro.

  7. Não interrompa o tratamento para hipertensão.

  8. Evite o estresse.

 

*Recomendações da SBH (Sociedade Brasileira de Hipertensão).