SAÚDE

Mulheres precisam vencer tabus, para vivenciar a sexualidade

A Bayer colabora para o empoderamento feminino, promovendo um diálogo aberto sobre saúde íntima e métodos contraceptivos.

As mulheres ainda enfrentam dificuldades para receber informações sobre sexo, métodos contraceptivos e saúde íntima. Muitas vezes, elas têm vergonha de tirar dúvidas sobre esses assuntos ou até receio de ir ao ginecologista com a frequência recomendada.

 

mulheres-precisam-vencer-tabus-para-vivenciar-a-sexualidade

 

Questões culturais que patrulham o comportamento e a sexualidade das mulheres representam uma barreira que impacta na vida de milhares delas. Para derrubar mitos e colaborar para a boa saúde feminina, a Bayer criou o movimento #LiberdadeVemDeDentro, que fomenta um diálogo transparente sobre mulheres, sexo e contracepção.

 

Composto por um hub de informações sobre contracepção, o movimento neste ano é estrelado e cocriado pela cantora, atriz e ex-BBB Manu Gavassi, e busca empoderar mulheres para que elas possam conhecer melhor os seus corpos, desejos e necessidades. “Ainda existe uma tentativa muito forte de aprisionar a liberdade feminina. E a luta é contínua, para ter liberdade de falar sobre tudo, sobre nossa sexualidade, nossas escolhas, coisas básicas para a nossa saúde, sobre métodos contraceptivos, com mais clareza. A gente tem muito a ganhar falando abertamente sobre isso”, afirmou Manu Gavassi em vídeo do movimento.

 

Planejamento familiar

Os tabus e a desinformação fazem com que as mulheres não tenham a liberdade de fazer boas escolhas em relação ao planejamento familiar. Uns dos reflexos disso é a alta incidência de gravidez não planejada. De acordo com um estudo da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, 55%1  das brasileiras tiveram filhos sem planejamento, percentual acima da taxa média mundial de 40% de gestações não intencionais.

 

O dado alarmante mostra que há algo de errado, e as brasileiras não estão tendo acesso aos métodos contraceptivos de forma adequada. “A gente se apoia, no Brasil, em pílula e camisinha, que são métodos que dependem muito do usuário. Se ela esquecer, dançou”, opinou a pesquisadora e médica Carolina Sales Vieira, professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo, em notícia da BBC.

 

Segundo a pesquisadora, o Brasil precisa ampliar a adoção de métodos contraceptivos reversíveis de longa ação (LARC, sigla em inglês para Long-Acting Reversible Contraception). Esse grupo engloba o dispositivo intrauterino (DIU), o sistema intrauterino (SIU, que é mais conhecido como DIU hormonal) e os implantes hormonais. "Mais de 80% das mulheres brasileiras usam anticoncepcionais no Brasil. Como que a taxa de gestação não planejada chega a 55,4%? Isso é explicado pela falta de métodos de longa ação. Só temos 2% das mulheres usando DIU ou implante", destacou Carolina.

Métodos contraceptivos

Os métodos de longa ação não dependem de boa memória e ingestão diária para funcionarem. São alternativas seguras, que trazem comodidade e maiores taxas de eficácia. Conheça detalhes sobre os LARC no Blog Bayer: como escolher o melhor método contraceptivo?

 

É importante que as mulheres possam conhecer todas as opções disponíveis e quais são os prós e contras de cada método, para tomar decisões mais conscientes. Com informação de qualidade, um casal pode fazer o planejamento familiar e evitar uma gestação com o uso de um único método ou fazer uma combinação de soluções, de acordo com o histórico clínico e a orientação médica para cada caso.

 

É possível decidir usar adesivo, anel, preservativo masculino ou feminino, diafragma, espermicida, esponja, adotar métodos como o coito interrompido, DIU de cobre, SIU, implante anticoncepcional, injeção feminina mensal ou trimestral, injeção para homens, pílula anticoncepcional, pílula do dia seguinte e tabelinha. Há ainda métodos definitivos, que são a ligadura das trompas e a vasectomia. Veja o comparativo entre cada um desses métodos no Blog da Bayer: Bê-á-bá da contracepção.

A Bayer estimula o empoderamento feminino, investe em projetos e soluções em saúde e nutrição, para promover o bem-estar e a qualidade de vida das mulheres. Entre as novidades, a Bayer lançou um hub de conteúdo no Spotify, com playlists customizadas para que o público feminino possa se conectar com temas de saúde. Saiba mais: Bayer lança playlists de músicas para promover a saúde da mulher.

 

É importante que as mulheres possam investir em autocuidado, valorizar mais o próprio corpo e entender suas necessidades. Dessa forma, a mulher poderá fazer boas escolhas e melhorar a saúde íntima, além de se sentir mais livre e segura para amar e vivenciar a sexualidade de forma mais saudável. "Prazer está completamente conectado com autoestima e com aceitação também, porque quando a gente se aceita e está segura, não existe nada mais poderoso", opinou Manu Gavassi, durante a campanha do movimento #LiberdadeVemDeDentro.

 

Tags: Liberdade vem de dentro, saúde feminina, métodos contraceptivos, DIU, LARC, saúde íntima.

 

Referências:

1https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44549368

 

PP-KYL-BR-0614-1