SAÚDE

Hábitos saudáveis são fundamentais para prevenir a obesidade

A alimentação balanceada é o principal pilar para preservar a saúde no longo prazo, controlando o peso e prevenindo complicações cardiovasculares.

Biscoitos, chocolates, refrigerantes e salgadinhos são apenas alguns exemplos das delícias facilmente encontradas em lanchonetes, supermercados e nas mesas de milhares de brasileiros.

 

Hábitos saudáveis são fundamentais para prevenir a obesidade

 

A cultura colabora para o consumo de alimentos industrializados, e que contenham quantidades excessivas de gordura, açúcar e sal. "No geral, esses alimentos ultraprocessados possuem sabor mais agradável e um grande prazo de validade, mas são pobres nutricionalmente, e ricos em calorias, gorduras e aditivos químicos"1 , afirmou a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia, em notícia da revista Boa Forma.

 

O problema é que, com o tempo, o consumo dessas guloseimas tentadoras compromete a saúde da população, e a obesidade atualmente é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Trata-se de uma doença crônica caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura no corpo, quando há índice de massa corporal (IMC) superior a 30 kg/m², aumentando a mortalidade2.

 

A obesidade é resultado principalmente de uma dieta inadequada, com ingestão excessiva de calorias. Porém, outros fatores também podem estimular o desenvolvimento da obesidade, como a herança genética, problemas hormonais, sedentarismo e questões emocionais, como o estresse. Leia também: Como incentivar a alimentação saudável em casa?

 

O dia 11 de outubro é marcado pelo Dia Mundial da Obesidade e pelo Dia Nacional de Prevenção da Obesidade. No Brasil e no mundo, a data promove importantes ações de conscientização sobre a doença e a importância de estimular hábitos saudáveis para o controle do peso.

 

Perigos da obesidade

A obesidade compromete o bem-estar do indivíduo. A condição pode dificultar a realização de tarefas de rotina e gerar sintomas como dores, em decorrência da sobrecarga nas articulações e problemas na coluna, fadiga e indisposição. No entanto, o maior problema da obesidade é que a condição favorece o desenvolvimento de várias outras doenças.

 

O obeso tem maior probabilidade de desenvolver hipertensão, diabetes do tipo 2, colesterol alto, doenças cardiovasculares, artrose, refluxo esofágico, complicações respiratórias, depressão e variados tipos de câncer, por exemplo3. Leia também no Blog Bayer: Você lembra o que colocou no prato hoje?

 

Segundo dados do IGBE, o excesso de peso já afeta 61,7% da população adulta e 26,8% estão obesos. A Pesquisa Nacional de Saúde de 2019 também revelou que 19,4% dos adolescentes com idades de 15 a 17 anos apresentaram excesso de peso e 6,7% estavam obesos4.

 

"O percentual tanto da obesidade quanto do excesso do peso vem subindo. Em ambos os sexos, o excesso de peso avançou e a obesidade mais que dobrou. A obesidade é um subgrupo do excesso de peso, então as pessoas obesas também estão inclusas no grupo que está com excesso de peso", explicou Flávia Vinhaes, pesquisadora do IBGE, em comunicado.

 

Males da gordura

A gordura pode se acumular em tecido subcutâneo, intramuscular ou visceral. A subcutânea é aquela gordura sob a pele, podendo apresentar menor risco para a saúde. O excesso de gordura intramuscular é preocupante e se relaciona com a resistência à insulina, enquanto a gordura visceral se acomoda junto aos órgãos e está muito associada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e síndrome metabólica5.

 

O excesso de gordura no corpo, independentemente de qualquer tipo, traz resultados maléficos. "Os principais dados que temos hoje mostram que, com o passar dos anos, a maioria das pessoas que eram metabolicamente saudáveis deixam de ser. A gordura subcutânea em algum momento satura e passa a se depositar ectopicamente, ou seja, nos órgãos"6 , alertou a endocrinologista Cintia Cercato, professora da Universidade de São Paulo (USP), em reportagem da revista Claudia.

 

Dessa forma, para cuidar principalmente da saúde do coração e de outros órgãos que sofrem com a obesidade, é primordial adotar hábitos saudáveis para controlar o peso. A principal recomendação dos especialistas é investir em uma dieta nutritiva e balanceada, priorizando alimentos in natura, com o consumo rotineiro de frutas, verduras, legumes e grãos integrais. Além disso, a rotina deve contar com a prática regular de atividades físicas.

 

PP-XAR-BR-1061-1.

Vida saudável

Confira dicas para prevenir e combater a obesidade:

  • Tenha uma alimentação saudável, baseada em alimentos in natura.
  • Pratique atividades físicas.
  • Controle o consumo em excesso de sal e açúcar.
  • Beba pelo menos dois litros de água diariamente.
  • Tenha um sono adequado.
  • Monitore a pressão arterial regularmente.
  • Controle o colesterol.
  • Faça exames preventivos de doenças cardiovasculares.
  • Evite o consumo em excesso de bebidas alcóolicas.
  • Evite o tabagismo.