06/10/2017

Jardim de Polinizadores

Composto por mais de 10 mil mudas, novo espaço no Museu Catavento tem apoio da Bayer e permitirá que os visitantes entendam como se dá o processo de polinização

Para celebrar a chegada da primavera, o Museu Catavento, museu de Ciência e Tecnologia da Secretaria da Cultura do Governo de São Paulo, com o apoio da Bayer inaugura o Jardim de Polinizadores, um projeto de paisagismo especialmente elaborado para integrar o jardim e o Borboletário do local. O espaço contou com o plantio de mais de 10.600 mudas de 28 espécies de plantas e flores. Nele, os visitantes poderão entender como funciona o processo de polinização, que tipo de agente polinizador cada espécie de planta atrai, além de experienciar os cheiros e sensações que o espaço pode proporcionar.

 

Quase imperceptíveis, os polinizadores são essenciais na manutenção da diversidade da flora e do meio ambiente, entre as diversas espécies que cumprem esse papel, as abelhas se destacam entre os principais agentes responsáveis pelo processo de reprodução da vida vegetal, produção de frutos, flores e sementes. Na lavoura, o trabalho de polinização também contribui para o aumento da produtividade, cerca de 75% da alimentação humana depende direta ou indiretamente de plantas polinizadas ou beneficiadas pela polinização animal. Por isso, é imprescindível conscientizar a população para a importância de um convívio harmonioso com as abelhas que além de contribuírem para uma primavera mais florida, também nos ajudam a alimentar o planeta.

 

 

“Somos uma empresa de ciências da vida, sendo assim, acreditamos que as abelhas são necessárias não só como polinizadores para a produção sustetável de alimentos, mas também pelo papel que desempenham para a manutenção do ecossistema”, afirma Claudia Quaglierini, gerente de Políticas Agrícolas e Relacionamento com Stakeholders da Bayer.

 

 

Por dentro do Jardim dos Polinizadores

 

Existem três mil espécies de abelhas no Brasil devido à enorme diversidade de zonas climáticas e paisagens do país. O Jardim dos Polinizadores é um espaço de 105 m² construído ao redor do Borboletário, localizado na área interna do Museu Catavento, que tem como principal objetivo atrair polinizadores de diversas espécies e promover a interação com visitantes do museu. No local, foram plantadas mais de 10.600 mudas de diversas espécies de plantas e flores como hibisco, árvore de acerola, lavandas, azaleias, salvias entre outras.​

 

“O Catavento, além de ser instrutivo e divertido, tem que ser um local que dê prazer às famílias e, para isto, nada melhor que um lindo jardim”, comentou Sergio Silva de Freitas, Presidente do Conselho Administrativo da Organização Social Catavento Cultural e Educacional. O espaço também contará um hotel de abelhas, construído com gomos de bambu de diferentes diâmetros e profundidade e lascas de madeira de eucalipto, onde as abelhas encontrarão um local saudável e seguro para construir os ninhos e se reproduzirem.

 

 

“Temos orgulho de apoiar iniciativas que contribuam para a promoção da ciência, inovação, sustentabilidade e educação como o Museu Catavento, que leva inovação, cultura e conhecimento de forma interativa e didática para a população”, destaca Gerhard Bohne, COO interino da divisão Crop Science da Bayer.