18/05/2020

Chega ao Brasil tratamento que preserva a qualidade de vida para pacientes com câncer de próstata

 
  • O país é o segundo a aprovar a darolutamida (Nubeqa®), indicada para câncer de próstata não-metastático resistente à terapia de privação hormonal
  • Estudo ARAMIS, que comprova segurança e eficácia do medicamento, foi realizado em 150 centros distribuídos pelo mundo, entre eles 25 centros de pesquisa brasileiros
  • A droga atrasa o surgimento de metástase em até 40 meses1
  • Efeitos colaterais são raros e leves quando comparados a outros tratamentos oncológicos1

São Paulo, maio de 2020 – Nubeqa® (darolutamida), novo tratamento para pacientes com câncer de próstata não-metastático resistente à terapia de privação hormonal (bloqueio de testosterona), já está disponível no mercado brasileiro. A terapia, desenvolvida pela Bayer e pela Orion Corporation, chega para atender uma gama de pacientes que até recentemente não tinha opções de tratamento eficazes e que não interferissem em sua rotina e qualidade de vida. O país é o segundo a receber o tratamento, atrás apenas dos Estados Unidos.

Indicado para os casos de tumores que ainda não desenvolveram metástases, mas que demonstram alto risco para esta ocorrência e que perderam a resposta à terapia hormonal, o medicamento foi testado em 1.500 pacientes de 150 centros distribuídos pelo mundo, entre eles 25 centros de pesquisa clínica no Brasil.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) prevê 625 mil novos casos de câncer no Brasil para cada ano do triênio 2020-2022, sendo que o câncer de pele não melanoma será o mais incidente, seguido pelos tumores de mama e próstata. A previsão para o câncer de próstata para esse triênio é de mais de 65 mil novos casos por ano. “Em paralelo, estudos mostram que cerca de 3% dos casos existentes atualmente são resistentes à castração não metastáticos”, explica Dr. Murilo Luz, uro-oncologista brasileiro que participou do estudo ARAMIS, que comprova a eficácia e segurança do novo medicamento.

O médico conta que o observado no estudo é que “além de todos os subgrupos de pacientes, mais jovens ou mais velhos, com a doença mais ou menos agressiva, terem sido beneficiados, a droga apresentou um perfil de segurança muito bom, com pouquíssimos eventos adversos graves observados. O principal deles, a fadiga, se mostrou presente em apenas 12% dos casos, sendo que 9% dos pacientes que receberam placebo também apresentaram o sintoma”.

Estudos2 indicam que cerca de um terço dos homens com esse tipo de câncer desenvolve metástases – quando as células cancerosas atingem outras áreas do corpo – dentro de dois anos a partir do desenvolvimento da resistência à castração. “Tendo isso em vista, o objetivo principal do tratamento aprovado é atrasar o aparecimento de metástases nesses pacientes. E os resultados foram satisfatórios: aqueles que estavam em tratamento com darolutamida demoraram em torno de 40 meses – quase 4 anos – para desenvolverem metástases sem terem sua rotina normal afetada, enquanto o grupo que recebeu placebo desenvolveu algum tipo de metástase em uma mediana de 18 meses”, explica Dr. Murilo.

“O câncer de próstata resistente a este “bloqueio” de testosterona é uma forma avançada da doença, em que o câncer continua progredindo apesar do tratamento com terapia de privação hormonal. A chamada ‘terapia de privação androgênica’ busca reduzir o nível dos hormônios masculinos (andrógenos), um dos principais responsáveis por estimular as células do câncer de próstata a crescerem”, detalha. Nesse cenário, darolutamida impede que o hormônio seja recebido pelas células do tumor retardando a disseminação do câncer sem acrescentar efeitos colaterais graves ao tratamento. “Acredita-se que este perfil de segurança favorável se deve, entre outras causas, ao fato do medicamento (dois comprimidos duas vezes ao dia, por via oral) agir sem grande penetração no sistema nervoso central, contribuindo para que o paciente passe pelo tratamento mantendo a sua qualidade de vida”, completa.

Atualmente, é cada vez mais importante tratar diversos tipos de câncer pensando não só na cura, mas em como controlar o seu desenvolvimento. “A partir de inovações como a darolutamida, a medicina se mostra capaz de vislumbrar o cuidado do câncer assim como hoje fazemos com as doenças crônicas: mesmo que incuráveis, existem opções de tratamento que prolongam a vida do paciente com bastante qualidade e baixo impacto em seu dia a dia”, conclui Dr. Murilo. 

Sobre a Oncologia na Bayer

A Bayer – que promove a ciência para uma vida melhor por meio de tratamentos inovadores – agora expande sua atuação na Oncologia ao disponibilizar seis produtos ao mercado e diversos outros compostos em vários estágios de desenvolvimento clínico. Juntos, esses produtos refletem a importância da área de pesquisa para a companhia, que prioriza metas e caminhos que tenham o potencial de impactar a maneira como o câncer é tratado no mundo.

Nubeqa® já é o segundo medicamento lançado pela Bayer para o tratamento do câncer de próstata. Em 2015 a empresa trouxe ao país o Xofigo® (cloreto de rádio 223 Ra), indicado para pacientes com câncer de próstata resistente à castração com metástases ósseas sintomáticas e sem metástases viscerais conhecidas3. Xofigo® é reconhecido pelo seu benefício clínico significativo que vai além do ganho de sobrevida, já que o medicamento diminui também dores e conplicações ósseas, comuns dessa fase mais avançada da doença, proporcionando mais qualidade de vida aos pacientes.

Em 2019, a Bayer também lançou no Brasil outra novidade no tratamento do câncer: um medicamento de precisão que trata mais de 20 tipos de tumores diferentes com a mesma alteração molecular. O lançamento representa um novo capítulo na medicina de precisão, onde cada paciente e seu tumor são tratados de forma personalizada. A nova classe de tratamento oncológico – com o nome comercial Vitrakvi® (larotrectinibe) – combate com até 79% de sucesso alguns dos casos mais agressivos da doença4. A droga age sobre tumores que possuem fusão de gene NTRK, comum a vários cânceres em adultos e crianças, como fibrossarcoma infantil, pulmão, câncer colorretal, tireoide e sarcomas, parte deles sem tratamento efetivo até hoje.

Sobre a Bayer

A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de saúde e nutrição. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar pessoas apoiando-as para superar os maiores desafios apresentados pelo crescimento e envelhecimento populacional. Além disso, a companhia visa criar valor por meio da inovação e crescimento. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e a marca Bayer representa confiança, credibilidade e qualidade ao redor do mundo. No ano fiscal de 2019, com cerca de 104 mil colaboradores, obteve vendas de € 43.5 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2,9 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 5,3 bilhões. Para mais informações, acesse www.bayer.com.br.

1 Darolutamide in Nonmetastatic, Castration-Resistant Prostate Cancer. Karim Fizazi, M.D., Neal Shore, M.D., Teuvo L. Tammela, M.D., Ph.D., Albertas Ulys, M.D., Egils Vjaters, M.D., Sergey Polyakov, M.D., Mindaugas Jievaltas, M.D., Murilo Luz, M.D., Boris Alekseev, M.D., Iris Kuss, M.D., Christian Kappeler, Ph.D., Amir Snapir, M.D., Ph.D., et al., for the ARAMIS Investigators* N Engl J Med 2019; 380:1235-1246. DOI: 10.1056/NEJMoa1815671

2 Moreira, Daniel M., Howard, Lauren E., Sourbeer, Katharine N. e outros. Predictors of Time to Metastasis in Castration-resistant Prostate Cancer, UROLOGY 96: 171–176, 2016

3 Bula Xofigo®. Disponível em: https://m.pharma.bayer.com.br/html/bulas/publico_geral/Xofigo.pdf. Acessado em abril de 2020.

4 Hong, D.S., DuBois, S., Kummar, S. Larotrectinib in patients with TRK fusion-positive solid tumours: a pooled analysis of three phase 1/2 clinical trials. Lancet Oncolocy. Acessado em fevereiro de 2020.