CARREIRAS

Flexibilidade: a chave para uma jornada de aprendizados transformadores

A importância das movimentações de carreira para ampliar as perspectivas e solidificar nosso legado no mundo.

Minha paixão por processos se iniciou em meados de 2001, enquanto eu estava na faculdade de engenharia química e trabalhava numa fábrica de fertilizantes em Rio Grande (RS). Apesar de ser um desafio estudar e trabalhar em turnos, lembro que eu não me via fazendo nenhum tipo de sacrifício ou esforço extra. Pelo contrário, achava o máximo estar vivenciando dentro da fábrica de fertilizantes as teorias de cálculo, álgebra, física e termodinâmica com exemplos práticos do dia a dia da produção.

 

Flexibilidade no trabalho

 

Alguns meses antes de me formar, recebi a proposta de ser sócia nacional de uma empresa indiana de aditivos de fertilizantes que precisava iniciar as operações no Brasil. Foi apenas aí que percebi o diferencial que o esforço dos cinco anos de experiência prática trouxe à minha carreira.

 

Os cinco anos seguintes foram de aprendizado intenso, tanto em vivenciar a diversidade da cultura indiana, quanto ao me abrir para novas possibilidades de carreira. Nesse momento, conheci diferentes governantes e distritos industriais pelo Brasil, aprendi sobre contabilidade, incentivos fiscais, legislação e também fiquei expert em tradução simultânea (meu sócio falava apenas “bom dia” em português). Morei em Porto Alegre e depois em São Paulo, e os aprendizados da faculdade me prepararam para discutir sobre os projetos de construção e expansão das três unidades químicas que instalamos no país e no exterior. Os processos padronizados em segurança das pessoas e clima organizacional aprendidos no chão de fábrica foram uma base importante para montar os times dos cinco escritórios comerciais estabelecidos no país.

 

Então, quando fui acessada pela Monsanto, em 2011, para conhecer o universo de sementes, repensei a carreira e consegui perceber que, mesmo não tendo me formado em agronomia, eu me identificava, sim, como uma mulher do agro. No fertilizante já tinha sido a primeira mulher da equipe de produção (com outros 36 colegas), e também fui a primeira sócia-diretora mulher que a empresa indiana teve, abrindo caminho para outras colegas que foram contratadas globalmente.

 

A Monsanto foi uma oportunidade fantástica de aprender muito sobre como ser uma líder genuína e inspiradora, reconhecer minhas fortalezas e potencializá-las para acelerar a entrega de resultados por meio das habilidades do time. Foram dois anos e meio na liderança da produção da unidade de beneficiamento de milho de Itaí (SP), suportando o time na entrega da capacidade produtiva do site que tinha acabado de receber investimentos de expansão. Então, foram outros dois anos e meio em Ipuã (SP), com desafios de manter o engajamento das pessoas e o alto padrão de segurança das operações em um momento de negociações de desinvestimento da unidade.

 

Em 2016, veio uma proposta de dividir a expertise em processos e a paixão em desenvolvimento de pessoas sendo Gerente Regional de Vendas de Sementes Agroceres em Londrina (PR). Essa foi uma experiência fantástica que me aproximou dos nossos clientes e seus desafios diários no campo, além de expandir minha percepção da relevância da busca pela excelência em nossas operações produtivas. Não posso deixar de mencionar que nesse período também tive a oportunidade de iniciar as instalações de FieldView em nossos clientes do norte do Paraná e sul de São Paulo, entendendo um pouco mais o quanto estávamos mudando o futuro da agricultura do país naquele momento!

 

Desde 2018, estou de volta à liderança das operações de milho, agora no site de Paracatu (MG). No entanto, hoje, tenho um novo olhar sobre o impacto do meu trabalho na cadeia produtiva de alimentos e um senso de responsabilidade em assegurar que nossa semente tenha a qualidade acima das expectativas do cliente. Assim, poderemos nos tornar cada vez mais a escolha preferencial do agricultor na jornada de nutrir o Brasil com alimentos de alta qualidade.

BrancaBranca é gaúcha, engenheira química com MBA em Marketing pela FGV e em Competências de Gestão pela FDC. É apaixonada em fazer a diferença na vida das pessoas e em viajar pelo mundo para conhecer e aprender com quem pense diferente dela.

Tags: flexibilidade, evolução profissional, vivenciar a diversidade, repensar a carreira.