MEU TRABALHO NA BAYER

Do sonho para a realidade

Para vivenciar esta fase da minha carreira, foi importante estar em um local alinhado com os meus valores e sem distinção de idade. Aqui estou transformando um sonho do passado em realidade. 

Para escrever sobre o Estágio na Bayer, tenho que começar falando da minha esposa, Bianca Ferreira. Foi durante uma pesquisa de emprego que ela encontrou o anúncio do programa de estágio, me incentivou e acreditou em mim, mesmo quando eu não confiava que conseguiria um resultado positivo.

 

Sou Eletricista de Manutenção Industrial, sempre atuei diretamente com equipamentos da linha de produção e instalações da fábrica, e atualmente estou no 6º período do curso de Engenharia de Controle e Automação. A minha experiência vem principalmente do chão de fábrica, então tive pouco contato com certas rotinas administrativas e programas de manutenção.

 

Quando se procura fazer estágio em nível superior, é comum aparecerem exigências de utilização de aplicativos e programas, ou mesmo vivências em certas áreas. Porém, o Programa de Estágio da Bayer abre novas possibilidades para diversas pessoas. O foco se dá no desenvolvimento do profissional, então ele integra mesmo quem não tem extensa bagagem profissional, cursos ou experiência anterior, além de pessoas com mais de 30 anos de idade. Hoje, consigo completar esta parte importante da faculdade: o estágio obrigatório – que já é complexo por ser necessário para a graduação, fora os requisitos para certas vagas que contemplam inúmeras exigências de cursos e experiências, o que torna tudo mais difícil ainda.

 

Durante todo o processo de entrevista, eu me senti bem tratado, de igual para igual. Não tive aquela sensação de ser destacado como o “candidato velho”, com as perguntas direcionadas principalmente aos mais novos – algo que já senti no mercado de trabalho. A cada dia, sinto, aos poucos, voltar aquela sensação de quando comecei a fazer a faculdade pela primeira vez (essa é minha terceira tentativa, sempre apoiado pela minha esposa).

 

Atualmente, a fase do meu estágio na Bayer (Energias – Alta Tensão) coincidiu com a modernização do sistema de proteção elétrica para as subestações. Com isso, estou aprendendo alguns procedimentos que, até então, eu não tinha vivenciado, o que agrega tanto no meu crescimento profissional, quanto me ajuda com a grade curricular da faculdade, pois envolve a parte da automação.

 

Sigo conhecendo os procedimentos de segurança, manutenção e as rotinas. Sinto que esse conhecimento, junto com o apoio e a disposição do meu coordenador e dos meus colegas para tirar minhas dúvidas, podem alavancar a minha carreira. E o melhor de tudo? Foi receber a resposta de aprovação do estágio no dia em que meu primeiro filho nasceu: 11/11/2020.

Ronaldo Costa Ronaldo Costa é estagiário, cursa o 6º período de engenharia, gosta de filmes e, nas horas vagas, joga futsal.