SAÚDE

Conheça os perigos do diabetes

Os pacientes com diabetes precisam monitorar a taxa de glicose no sangue com frequência, manter uma alimentação equilibrada e praticar atividade física.

O diabetes é uma das doenças que mais interferem no cotidiano do paciente. É preciso usar medidores de glicose, tiras de teste, e se acostumar com injeções de insulina sempre que necessário. Além disso, há de se ter disciplina para manter uma dieta adequada visando controlar as taxas de açúcar no sangue e praticar atividade física frequentemente.

 

Para combater o diabetes, a população precisa compreender como essa doença crônica incurável se manifesta. O corpo humano saudável produz insulina por meio do pâncreas. Trata-se de um hormônio fundamental para o controle da glicemia. A ação da insulina colabora para que as células do corpo possam absorver a glicose presente no sangue, convertendo-a em energia para manter as atividades do organismo1.

 

Tipos de diabetes

O diabetes surge a partir de distúrbios da ação de insulina. Entre as possibilidades da doença, o diabetes tipo 1 ocorre quando um processo autoimune destrói células pancreáticas, comprometendo a capacidade de produção de insulina. Por isso, o paciente precisa aplicar injeções de insulina com frequência e ficar atento para evitar crises de hipoglicemia.

 

O diabetes tipo 2 é a forma mais comum da doença, que responde por cerca de 90% dos casos2. Ocorre quando o pâncreas é capaz de produzir insulina, mas o hormônio passa a ter ação dificultada. A resistência à insulina é a causa de desenvolvimento desse tipo de diabetes, geralmente associada ao avanço da idade e comorbidades.

 

Há ainda outros tipos de diabetes raros, relacionados com defeitos genéticos ou doenças endócrinas. Outra possibilidade é o diabetes gestacional, sendo que a grávida precisa de atenção especial porque a sobrecarga de glicose prejudica o desenvolvimento do feto.

 

Os perigos da doença

O grande problema é que o desequilíbrio da glicemia, seja pelo déficit de glicose no sangue (hipoglicemia) ou excesso de açúcar (hiperglicemia), traz sintomas variados e potenciais complicações. No Dia Mundial do Diabetes, em 14 de novembro, entidades conscientizam sobre o tema.

 

A descoberta da insulina, que representou um marco e completou cem anos em 2021, permitiu a fabricação do hormônio para tratar o diabetes. No entanto, além do uso de medicamentos, o controle da doença depende do empenho do paciente, que deve manter uma dieta saudável e rotina disciplinada. Leia mais: você lembra o que colocou no prato hoje?

 

Um dos desafios do tratamento é dosar a quantidade necessária de insulina. Isso depende da taxa de glicose presente no sangue que, por sua vez, varia conforme o alimento ingerido. “Boa parte dos pacientes com diabetes reconhece as atitudes que ajudam a controlar o problema mas não está conseguindo aplicá-las na rotina. Outro ponto é que a maioria não faz contagem de carboidratos, um cálculo voltado às refeições para definir a dose de insulina”3, afirmou o endocrinologista Carlos Eduardo Couri, que é pesquisador da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), em notícia da revista Veja Saúde.

 

Complicações do diabetes

A hipoglicemia pode causar mal-estar, fraqueza, desmaios, provocar coma e até ser fatal, se o paciente não for atendido. Por outro lado, o nível elevado de glicose também é perigoso. O excesso de açúcar causa danos aos vasos sanguíneos, o que eleva principalmente as chances de desenvolvimento de complicações cardiovasculares e renais.

 

“A falta de tratamento e de mudanças adequadas na rotina faz com que o nível de açúcar no sangue (glicemia) se mantenha elevado. Isso gera as complicações do diabetes. Em longo prazo, a hiperglicemia é tóxica para os órgãos, vasos sanguíneos e nervos, o que causa doenças como neuropatia (nervos), nefropatia (rins) e a retinopatia (olhos)”4, explicou Roberto Raduan, coordenador do Departamento de Complicações Agudas e Hospitalares da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), em reportagem do portal UOL.

 

A hiperglicemia pode causar lesões em estruturas delicadas da visão. Entre as complicações, o paciente pode desenvolver o Edema Macular Diabético (EMD), caracterizado pela ruptura de barreira sanguínea e um espessamento na retina. A situação pode provocar perda de visão e cegueira5.

 

Para conscientizar sobre esse tema, a Bayer desenvolveu um filtro na rede social Instagram que permite ter uma experiência virtual de simulação das complicações visuais. Confira essa experiência imersiva acessando este link a partir de um dispositivo móvel, ou procure o filtro “Bayer Oftalmologia” na galeria de efeitos do Instagram. Leia também: cuidados com a saúde ocular previnem a deficiência visual.

Diabetes é uma preocupação global

Um levantamento realizado pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) estimou que cerca de 463 milhões de adultos e mais de 1,1 milhão de crianças e adolescentes vivem com a doença no mundo e o diabetes foi responsável por US$ 760 bilhões de dólares em despesas com saúde no mundo em 2019.

 

Outro dado alarmante é que a doença pode chegar a atingir 700 milhões de adultos em 2045, já que a incidência de diabetes tipo 2 está avançando na maioria dos países6. “Diabetes está aumentando mais rapidamente nos países de baixa e média renda. Muitas pessoas que precisam de insulina enfrentam dificuldades financeiras para acessá-la ou ficam sem ela e perdem a vida”7, alertou Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), em comunicado.