SAÚDE

Câncer infantil: impactos e necessidades para vencer a doença

Pacientes com câncer e seus familiares precisam de informações confiáveis e suporte psicológico durante tratamentos oncológicos.

O câncer é uma doença que pode afetar não somente a vida dos pacientes como também a de suas famílias, ao carregar consigo sentimentos incertos e complicações para a saúde mental, além de física. De acordo com uma pesquisa conduzida em 2018, uma em cada três pessoas com câncer sofre de sofrimento mental ou emocional e até 25% dos sobreviventes do câncer experimentam sintomas de depressão e até 45% experimentam ansiedade.1

 

Compate ao Câncer Infantil

 

O tema é delicado e merece atenção. É fundamental contar com apoio especializado para lidar melhor com a doença. Em fevereiro, duas datas chamam a atenção para o debate sobre o assunto e colaboram para a conscientização sobre os tratamentos oncológicos: o Dia Mundial de Combate ao Câncer, em 4 de fevereiro, e o Dia Internacional de Combate ao Câncer Infantil, que marca o 15 de fevereiro.

 

O cenário do câncer infanto-juvenil

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que, em 2020, cerca de 8,6 mil novos casos de câncer infanto-juvenil foram registrados, representando a principal causa de morte por doença de crianças e adolescentes, com 8% do total de óbitos de vítimas na faixa etária de 1 a 19 anos. Por outro lado, cerca de 80% das crianças e jovens com câncer podem ser curados se diagnosticados precocemente.

 

O cuidado com as crianças e jovens deve ser criterioso, observando-se a história clínica do paciente, o histórico familiar, a presença de doenças genéticas ou de doenças constitucionais. Esses fatores podem auxiliar no diagnóstico precoce do câncer. O diagnóstico precoce e o tratamento personalizado são as principais recomendações para vencer o câncer infanto-juvenil.

 

A incidência de câncer infanto-juvenil difere dos casos nos adultos especialmente porque, em crianças e adolescentes, a doença não apresenta uma causa prévia aparente ou fatores de risco associados ao desenvolvimento de um tumor, como, por exemplo, o cigarro, que pode ser relacionado ao câncer de pulmão.

 

Evolução da oncologia

A ciência está evoluindo para promover o aumento da curabilidade do câncer infanto-juvenil. Os tratamentos com medicamentos (quimioterapia, terapia-alvo, hormonioterapia), cirúrgicos e radioterápicos podem ser aplicados, a depender do tipo de câncer e condições do paciente.

 

A tendência é que os tratamentos sejam cada vez mais personalizados, com aplicação de forma individualizada e racional, levando-se em consideração as características biológicas do tumor e a extensão da doença. A Bayer está na vanguarda do cenário oncológico em evolução, priorizando alvos e caminhos com potencial para impactar a forma como o câncer é tratado. Um exemplo disso é o larotrectinibe, solução da Bayer que age bloqueando a atividade de células cancerígenas com a chamada “fusão do gene NTRK”.

 

O larotrectinibe pode combater mais de 20 tipos de tumores que apresentem a alteração genética controlada pelo medicamento. “Essa é uma tendência moderna, que se concentra nas particularidades moleculares do câncer, e não em seu lugar de origem”, afirmou o oncologista Marcos André de Sá Barreto Costa, em notícia da revista Saúde.

 

Saúde mental

Também é fundamental proporcionar apoio psicológico para os pacientes e seus familiares. O diagnóstico e o tratamento de um câncer costumam abalar emocionalmente os envolvidos, com reflexos preocupantes para a saúde mental durante o tratamento oncológico e até mesmo após a cura da doença.

 

Um relatório do Children with Cancer UK descobriu que quase metade (45%) das famílias disseram que a saúde mental de seus filhos diagnosticados com câncer havia sido afetada pelo tratamento da doença no curto prazo, mais de um terço (34%) disseram que havia sido afetado no longo prazo, e quase três quartos (74%) das famílias afirmaram que a unidade familiar foi afetada por problemas de saúde mental e emocional durante a jornada de câncer de seu filho ou irmão.2

 

Tags: câncer, infantil, trombose, tratamentos oncológicos, saúde mental.

 

REFERÊNCIAS

1. National Behavioral Health Network for Tobacco & Cancer Control. Mental Health Impacts of a Cancer Diagnosis. 2018. Available at: https://www.bhthechange.org/resources/mental-health-impacts-of-a-cancer-diagnosis/#_edn6
Accessed November 2020.

 

2. Children with Cancer UK. Side Effects of Childhood Cancer. 2020. Available at: https://www.childrenwithcancer.org.uk/stories/almost-half-of-childhood-cancer-patients-suffer-mental-health-problems-due-to-harsh-treatments/
Accessed November 2020.

 

PP-VIT-BR-0222-1