História

Dissolução da I.G. e reestabelecimento da Bayer (1945–1951)

Em novembro de 1945, as Forças Aliadas confiscaram a I.G. e colocaram todas as suas unidades sob o controle dos oficiais aliados. A empresa precisa ser dissolvida e seus ativos disponibilizados para reparos de guerra. No entanto, os britânicos permitiram Ulrich Haberland (1900–1961), que tinha sido responsável pelo agrupamento do Baixo Reno desde 1943, para permanecer na sua posição. Logo, eles autorizaram a retomar a produção também, já que os produtos da indústria química eram essenciais para abastecer a população.

Nos anos que se seguiram, Haberland trabalhou para construir uma empresa nova e competitiva na tradição Bayer de sucesso. Os governos militares aliados tinham inicialmente planejado desmembrar a I.G. em muitas pequenas empresas quanto possível. No entanto, estas empresas dificilmente teriam sido capazes de sobreviver no mercado mundial ou até mesmo na própria Alemanha. Os Aliados finalmente chegaram a esta realização também e, portanto – com base no direito dos Aliados – 12 novas empresas bem competitivas foram criadas na República Federal da Alemanha.

Uma destas empresas foi a Farbenfabriken Bayer AG, que foi recém-criada em 19 de dezembro de 1951. As unidades de Leverkusen, Dormagen, Elberfeld e Uerdingen foram alocadas para a nova empresa, e em 1952, a Bayer também recebeu a recém-criada Agfa "empresa por ações para foto fabricação" como uma subsidiária.